fbpx

O esquema, como estudar para concursos?

Canal do Professor, com Marcus Silva

Marcus Silva, colunista da Folha Dirigida

Olá! Hoje gostaria de fazer algumas comparações com o estudo para provas e concursos e um esporte que gosto bastante: o futebol.

Pode parecer estranho, mas há muitas semelhanças entre as duas coisas.

Todo estudante que se preze sabe que deve construir uma boa base de conhecimentos que vai facilitar todo o processo de estudo. No futebol não é diferente, e essa base começa justamente pelo sistema defensivo de uma equipe.

No campo do estudo, se o estudante não lê seus materiais de estudo de forma correta, compreendendo, assimilando e internalizando o que acabou de estudar, não há a base do aprendizado que será trabalhado nas fases seguintes.

Assim também, se uma equipe não possui uma defesa sólida, que sabe exatamente o que deve fazer ao sair com a bola, fatalmente erros básicos acontecerão.

A bola deve chegar redonda ao meio de campo, aos volantes, para que o jogo possa fluir bem. Se isso não acontecer, haverá prejuízos que podem ser fatais para o time. É só imaginar aquela bola recuada para o goleiro que não sabe sair com os pés, não é verdade?

Bom, uma boa base de estudo feita, com resumos iniciais prontos, estudo de questões comentadas começando a fluir, todo o processo começa a andar e as engrenagens se combinam de forma suave, levando a pessoa à frente com confiança e segurança.

Assim, também quando a bola chega ao meio de campo, sendo recebida pelo jogador de cabeça erguida, as trocas de passes começam a fluir naturalmente, e o time começa a envolver o adversário. No caso do estudante, o “adversário” é o conteúdo a ser estudado, o edital de um concurso público por exemplo.

E é exatamente nesse ponto que a massificação do estudo começa a acontecer, com milhares de questões estudadas, inúmeras revisões feitas. É como se o esquema de jogo fosse treinado exaustivamente por aquele treinador que para o treino o tempo todo para corrigir os erros.

Assim também acontece nos estudos, quando, por exemplo, os erros são corrigidos nos simulados feitos pelo aluno. É nesse ponto que ele vai ficando cada vez mais afiado e preparado para a prova.

Acertos são massificados e ficam cada vez mais no modo automático, assim como as movimentações em campo e de posicionamento dos jogadores; e os erros são corrigidos e entram na sequência de repetição com exaustão até a perfeição.

Por fim, a bola chega ao ataque, bem passada para quem vai definir a partida naquele lance mais esperado pelo torcedor: o gol!

E também funciona assim no estudo. Um estudo bem feito, com resumos prontos, revisões intermediárias e finais bem executadas, gera a segurança e confiança necessárias para que o aluno chegue ao dia da prova tranquilo e preparado para marcar o maior número de gols que conseguir: os pontos necessários e suficientes para a sua aprovação e conquista do título, a sua vaga. Aí, é só comemorar e levantar a taça!

E se você desejar saber mais sobre meu trabalho de orientação de estudos, inclusive sobre minhas mentorias para concursos, mande mensagem para o WhatsApp (21) 981210550 e diga que você leu esta coluna, que está interessado em ser um dos meus mentorandos.

Pergunte se ainda há vagas disponíveis, pois estou encerrando as matrículas para este ano de 2022. Novos alunos, talvez, somente a partir de 2023.

Por hoje é só.  Espero ter ajudado!

Até a próxima! Grande abraço!

Não desista. A única opção é a sua vitória!

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *